Como criar filhos melhores para o mundo

Publicado em Cotidiano
Como criar filhos melhores para o mundo

Eu confesso que não é uma coisa que eu tenho muita propriedade para falar, afinal, não tenho filhos e espero que eu ainda demore um pouco para tê-los. Porém, como o Thiago já contou aqui nesse post, nós nos empenhamos desde já nessa busca por como criar filhos melhores para o mundo e, pesquisando sobre diversos métodos de ensino e de educação, acredito ter montado um combo interessante.

Costumo escutar, com mais frequência do que eu gostaria, que na prática vai ser tudo diferente e que nada disso que eu estudo agora vai ser importante, mas eu discordo categoricamente. Até acho que vão surgir dificuldades que eu nem imagino e sei que vou precisar me empenhar muito mais do que agora, mas nada melhor do que me preparar e, mais do que isso, me sentir preparada pra enfrentar seja lá o que estiver por vir.

Pensando em quem também tem essa preocupação antes da maternidade e em quem já está passando por esse período, mas que não para de buscar por novos caminhos, que eu decidi unir neste post, ainda que superficialmente, os dois métodos de criação e educação que eu mais me identifico e que eu acredito que vão me ajudar, de verdade, a criar filhos melhores para o mundo.

MÉTODO MONTESSORI + DISCIPLINA POSITIVA

Se você não sabe nada sobre esses dois universos, vou deixar aqui uma explicação básica de cada um e os motivos pelos quais eu acredito que esse combo pode ser útil demais nessa jornada.

MÉTODO MONTESSORI

Originalmente criado pela pedagoga Maria Montessori, esse método reúne práticas, materiais e teorias que, unidas, auxiliam no desenvolvimento e evolução da criança, observando e compreendendo cada uma delas como indivíduos únicos, com suas necessidades e fases particulares.

No método Montessori, a criança é incentivada a aprender sozinha, observando seus colegas e tendo autonomia para fazer as atividades gerais. Os planos de ensino são preparados de acordo com as fases e necessidades de cada idade, estimulando a criança na busca pela independência e auto-suficiência.

O mais legal dessa forma de educação é que ela não acaba na escola. Pais que seguem esse método preparam a sua casa com o máximo respeito e cuidado. Os móveis de alguns ambientes são adequados ao tamanho da criança, para que ela seja capaz de pegar o seu copo de água ou a sua roupa na gaveta, por exemplo. As atividades feitas em casa complementam o que foi ensinado na escola e instigam a criança a buscar, explorar e perceber melhor o ambiente em que vive.

No meu ponto de vista, o método Montessori pode ser resumido em uma única palavra: respeito. A capacidade de aprendizado de uma criança é gigante e os maiores exemplo que elas têm, principalmente na primeira fase, são os pais e os professores. Se desde sempre elas se sentirem respeitadas e incentivadas a serem quem elas são, sem comparações e livre de qualquer pressão descabida e desnecessária, se tornarão adultos mais preparados e menos frustrados.

DISCIPLINA POSITIVA

Eu enxergo a Disciplina Positiva como um estilo de vida, como uma forma de entender e respeitar qualquer indivíduo que conviva com você, principalmente os seus filhos. Sabe aquele ditado “Não faça com os outros o que você não gostaria que fizessem com você”? Vale 100% neste caso.

Quando você tem um filho, você passa a ser, dentro do ambiente familiar, a figura de maior autoridade. Mas não é por isso que você precisa agir com arrogância, ignorância e superioridade. A Disciplina Positiva tem como base, assim como o Método Montessori, o respeito e a empatia.

Existem muitas pessoas que entendem a Disciplina Positiva como uma forma de permissividade e isso é extremamente equivocado. Tratar uma criança empaticamente e evitar dizer “nãos” desnecessários e grosseiros não significa que deixaremos que elas tomem conta da situação, muito pelo contrario. Ao tentar entender e explicar para a criança o que nós precisamos que ela faça por nós naquele momento e o que ela própria está sentindo, você dá uma autonomia e senso disciplinar muito maior do que a educação tradicional daria (mais uma vez, esse é apenas o meu ponto de vista e o que eu acredito). Afinal, você deve concordar que é mais útil aprender determinado conteúdo do que apenas decorar sem refletir sobre aquilo, seja lá o que for.

Quando você trata uma criança com amor, compaixão, respeito, empatia e guia o seu caminho respeitando suas necessidades e sentimentos, você estimula o seu desenvolvimento, autocontrole e discernimento da melhor e mais permanente forma possível.

Lidar com crianças não é uma tarefa simples, mas seguir por um caminho que você acredita deixa tudo um pouco mais claro, acredito. Lembre-se que tudo pode ser adaptado, repensado e reestruturado de acordo com a necessidade de cada família e de cada criança.

É claro que o que vai funcionar pra mim pode não funcionar no seu núcleo familiar, mas de uma coisa eu tenho certeza: todos merecem ser respeitados. Seu filho, seu vizinho, a moça que te atende na padaria e todos que cruzarem com você por aí. Independente do jeito que você escolher criar suas crianças, a base de tudo está no amor e no respeito. Se isso nunca faltar, então tudo vai dar certo.

Até os meus filhos nascerem, eu espero já ter aprendido sobre várias outras coisas e refletido ainda mais sobre tudo isso. Eu não tenho medo de quebrar as tradições e seguir o meu próprio caminho, o que eu acredito que seja o melhor pra mim e pra minha família. E, melhor do que dizer o que você precisa fazer agora, eu aconselho que você reflita e busque informações sempre que necessário, assim todos saem ganhando.


Pra encerrar, vou deixar alguns links bem legais que vocês podem ler e entender melhor tudo o que eu falei no post de hoje. Aproveitem o conteúdo e depois voltem aqui pra nos contar o que acharam, o que pensam e como pretendem fazer ou como fazem por aí. Tem alguma dica pra nós? Deixem aqui nos comentários. Adoramos ler tudo que vocês escrevem pra gente.

Saiba mais:
Método Montessori
Disciplina Positiva
Mitos sobre Discplina Positiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *