Há dias em que chorar faz bem

Publicado em Cotidiano, Crônicas
Há dias em que chorar faz bem

As luzes se apagam, os olhos se fecham e, por um instante, o mundo deixa de existir ao seu redor. A escuridão parece ser necessária, ainda que você saiba que ela não vai durar para sempre. Estar consigo próprio pode parecer um pesadelo, se são os teus medos que te assombram. Estar envolto de pessoas pode se tornar ainda pior, se tudo o que precisa é do silêncio e de um pouco mais de ar para respirar.

Há dias em que chorar faz bem, seja em função de aliviar os pensamentos ou simplesmente para sentir a lágrima cair. Existem esses dias em que o vento faz soprar dores que você sequer lembrava, e que as horas conseguem passar ainda mais devagar que o normal.

Quando sentir que as pernas vão ceder e que você vai cair, é melhor chorar. Faz bem.

Seus lábios vão produzir um som que você se esforça em esconder; os olhos vão se fechar e voltarão a abrir marejados, como se estivessem precisando ser lavados há muito tempo. A respiração vai se dividir: ora acelerada, ora profunda. Sei que dói, mas chorar é mais importante do que possa parecer. Ainda que você prefira disfarçar quando lhe surgirem as lágrimas.

O choro não é sinônimo de fraqueza, mas sinal de que você finalmente abaixou a guarda e permitiu-se pedir ajuda a si mesmo. Chorar faz bem e não é motivo para se envergonhar.

Pode ser por causa de uma velha canção, que te trouxe lembranças de quem já se foi. Ou depois de uma discussão que abalou o que parecia inabalável. Não importa o motivo que te fez chorar, contanto que você se lembre dos motivos que te fazem sorrir.

Lembre-se que a gratidão não proíbe o choro, pois sem as lágrimas ela nem existiria.

Outras crônicas

Quando eu aprendi a amar
O mundo acaba hoje e você ainda não fez nada

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *