Morar fora do Brasil – O que devemos considerar

Publicado em Cotidiano
Morar fora do Brasil

Bom, como já contamos nesse post aqui, eu e a Bia estamos planejando nos mudar para o Canadá a médio-prazo. Enquanto buscamos adiantar os documentos necessários e tentamos resolver toda a parte burocrática (que leva alguns anos), também temos procurado saber tudo que pudermos sobre morar fora do Brasil. Aqui vão os principais tópicos a se considerar na hora mudar de país:

A escolha da cidade

Antes de considerar qualquer aspecto, o mais importante é definir a cidade em que você pretende morar. Provavelmente você já sabe para qual país quer ir e já andou lendo sobre muita coisa de lá. Mas lembre-se que assim como o Brasil, em que cidades como Porto Alegre e Recife têm culturas, sotaques e climas completamente diferentes, os outros países também têm diferenças regionais.

Caso o seu destino seja EUA ou Canadá, que são países geograficamente gigantes, é necessário ponderar os pontos positivos e negativos de cada cidade. Existem cidades superpopulosas e outras menores, em províncias mais quentes e em outras extremamente geladas.

A cidade também vai influenciar o mercado de trabalho disponível para a sua profissão, as oportunidades de estudo para você, seu cônjuge e seus filhos e diversas outras coisas, como alimentação e custo de vida. Então pense bem!

Emprego

Pode ser um emprego formal ou um trabalho autônomo, o importante é procurar muita informação sobre o mercado de trabalho no exterior para a sua área. Se você é profissional de alguma área ligada a TI, design, engenharia ou tecnologia em geral, você já terá vantagens nesse ponto, afinal em vários países essas são as profissões com mais oportunidades.

Vá atrás de sites de emprego da sua área naquele país, converse com profissionais locais e tire todas as dúvidas. Você pode fazer amigos, colegas de profissão e ainda treinar o idioma do país que deseja ir. Lembre-se de pesquisar sobre as limitações de trabalho no país para estrangeiros, pois elas sempre estão atreladas ao tipo de visto que você vai conseguir. E mais um detalhe: os modelos de currículo variam de acordo com o país, então fique por dentro dos formatos mais requisitados e se você vai precisar fazer uma carta de apresentação, etc.

Moradia

Parece não ser um ponto tão importante assim à primeira vista, mas a moradia é, talvez, o mais importante de todos os tópicos listados aqui. Quando se trata de alugar uma casa ou apartamento, tudo se torna muito mais difícil por você ser um estrangeiro. É necessário pagar taxas de seguro de aluguel e dispor de muito dinheiro para os primeiros meses, caso você ainda não tenha conseguido um emprego.

Além disso, vale lembrar que dependendo da região, os custos de transporte e tempo de deslocamento vão aumentar consideravelmente. Se por um lado morar no centro é mais barato e mais acessível para chegar aos lugares, o barulho é maior durante à noite e os apartamentos são menores (às vezes tendo um único cômodo para você, tendo que dividir as áreas do apartamento com outras pessoas). Já nos bairros mais residenciais, as casas e apartamentos são bem maiores, mas as distâncias e valores também aumentam.

Não se esqueça que, se você decidir por um lugar muito pequeno, pode ser que isso interfira na sua adaptação e você não se sinta confortável. E se for para se mudar depois de um certo tempo e passar por toda a dor de cabeça de fazer uma mudança, por que não considerar um lugar um pouco mais aconchegante logo no início, ainda que seja um pouco mais caro?

Há muitos sites para alugar moradia em outros países e isso facilita na hora de procurar o lugar ideal, mas assim como em qualquer lugar do mundo, existem pessoas de má índole que se aproveitam de estrangeiros desesperados para tirar vantagem e dinheiro, então tome cuidado.

Idioma

Muitas pessoas que conheço, provavelmente a maioria das que estão com intenções de morar fora do Brasil, querem ir para países em que se fala inglês, como os EUA, Canadá, Irlanda, Austrália ou Nova Zelândia. Mas também há inúmeras outras que estão em busca de outras culturas, como em países sul-americanos ou nos europeus, como Espanha ou França.

Independente do país, dominar o idioma é um ponto extremamente importante, ainda que para isso seja quase imprescindível a vivência na cultura em questão. É por isso que uma das coisas a se considerar para morar no exterior é que você vai precisar aprender a língua nativa. Se você quer fazer um curso de inglês para se comunicar bem, não há lugar melhor do que nos países que citei acima. Além do aprendizado, você vai conhecer outras pessoas recém-chegadas na cidade e se sentir um pouco menos deslocado.

No caso de você ter um marido/esposa e filhos, o aprendizado do idioma local se torna ainda mais fundamental para que todos se adaptem com mais facilidade. Na hora de procurar emprego, também, o idioma vai ser crucial. Ainda que você seja expert na sua área, se você não conseguir se expressar bem e compreender outras pessoas, vai ser muito difícil de ser aceito em uma vaga. Isso também vale na hora de procurar uma casa para morar, já que você vai precisar entender todos os termos com clareza, para que não seja lesado no contrato ou para que não infrinja alguma regra sem querer.

Clima

O Canadá e os EUA são muito conhecidos pela neve e pelo frio no inverno, mas você sabia que em muitas cidades a temperatura no verão pode chegar em até 50 graus? É, então, nem sempre a fama do país em ser quente ou gelado vale para todas as estações. Sem contar que fatores como umidade, ar seco, intensidade do vento e frequência de chuva/neve vão, sem dúvida, influenciar a sua saúde caso você tenha rinite, sinusite ou dificuldades físicas para se locomover.

Culturalmente, o clima é o aspecto que mais temos visto desmotivar brasileiros que moram em países muito gelados. Se você adora uma praia, o carnaval baiano e gosta de andar de bermuda e regata pra cima e pra baixo na sua cidade natal, talvez você se desanime um pouco em ter que viver 3 ou 4 meses com a temperatura abaixo de zero (às vezes chegando em até -30 graus) e em lugares em que o sol se põe às 4 da tarde. Pode parecer inofensivo e fácil de se adaptar, mas é um desafio e tanto.

Alimentação

O arroz e o feijão fazem falta fora do Brasil, acredite. Talvez você ainda nem tenha pensado nisso, mas, com exceção de fast-foods e redes famosas de restaurante em que o cardápio é o mesmo em qualquer parte do mundo, você não vai comer quase nada igual ao que come no Brasil. Pesquise bem a gastronomia da cidade que você pretende se mudar e o preço dos alimentos lá. Comer fora de casa costuma ser bem caro em alguns países e os restaurantes podem funcionar em horários bem distintos do que estamos habituados.

Se você tiver alguma restrição alimentar, como intolerância à lactose ou glúten, ou se for vegetariano como nós, dê preferência aos países e cidades que tenham opções para você e incentivem outras formas de alimentação, como o veganismo, por exemplo.

Outro ponto importante é que algumas culturas, como a indiana, valorizam a pimenta em seus famosos molhos curry. Se você não for fã de pimenta ou qualquer outro tempero, aprenda o nome de todos os ingredientes e pergunte antes de fazer o seu pedido.

Readequação

Por fim, mas não menos importante, a readequação para morar fora do Brasil, de forma geral, é o que vai pesar quando você já estiver lá. Considere tudo, mas tudo mesmo, o que você faz no Brasil hoje e como é a sua rotina: a distância dos seus amigos e familiares, a sua ocupação profissional, o estudo dos seus filhos, as suas atividades de lazer, as compras e até coisas banais, como o que não pode faltar no seu café da manhã. Falo isso porque fora do Brasil todas essas coisas vão mudar. E, em algum momento, você vai precisar estar preparado, pois vai sentir falta delas.

Coloque na balança o que é mais importante na sua vida e o que você mudaria sem pensar duas vezes. Veja se vale a pena mesmo e estude muito antes de arriscar tudo o que tem. De qualquer forma, faça aquilo o que você acredita ser certo e que quer muito fazer, mesmo que isso inclua mudar para o outro lado do mundo. Você só vai ter certeza estando lá. Se não der certo, tudo bem, vai ser melhor ter tentado do que morrer na dúvida se valeria à pena ou não.


Tem mais alguma coisa que você acha importante considerar para quem quer morar fora do Brasil? Deixe o seu comentário!

One thought on “Morar fora do Brasil – O que devemos considerar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *