Por que morar junto antes de casar

Publicado em Cotidiano, Morando Junto
Morar junto antes de casar

Morar junto antes de casar ainda é visto como uma atitude duvidosa e muitos casais que optam por esse caminho escutam algo parecido com “Hum, quero ver quanto tempo isso vai durar!” ou “Vão brincar de casinha?” ou então “Mas sem casamento? Isso não está certo”. Assim como muitas outras pessoas, nós também passamos por isso e eu resolvi fazer esse post para ajudar outros casais que estão na dúvida se esse é ou não o caminho certo e mostrar que morar junto antes de casar pode ser sim muito saudável e vantajoso.

Namorar morando separado e namorar morando junto são experiências completamente distintas e cada uma tem vantagens e desvantagens diferentes. É claro que eu não estou aqui pra dizer o que é certo ou errado, mas acho importante compartilhar as nossas experiências e o que tiramos de positivo desse período morando juntos. Nós sempre conversamos sobre isso e eu selecionei os pontos que são mais importantes pra gente.

Se conhecer

Concordo que morar numa caverna no Tibet rodeado por ovelhas pode ser a melhor opção para um total autoconhecimento, mas na nossa realidade, morar com alguém que não seja seus pais, avós, irmãos ou qualquer outra pessoa que tenha participado ativamente da sua vida, é quase tão esclarecedor quanto o isolamento.

Quando você divide um espaço com alguém, você passa a ser visto com novos olhos, por uma pessoa que quer te conhecer profundamente e que acaba descobrindo em você qualidades e defeitos que nunca tinham passado pela sua cabeça. É uma excelente oportunidade para você refletir sobre como as outras pessoas te veem, sobre quem você é, sobre quem você quer ser e como quer chegar lá.

Conhecer a outra pessoa

Ao mesmo tempo em que você está sendo observado, você também está observando. Morar junto te dá a oportunidade de enxergar quem você ama sob outra perspectiva. Você deixa de ser um admirador e passa a fazer parte da realidade de outra pessoa e dividir com ela todos os momentos bons e ruins.

Parece brincadeira, mas todos os dias eu aprendo um pouco mais sobre quem é o Thiago e sobre como nós funcionamos juntos. Não é todo dia que você vai descobrir algo legal e nem sempre vai ser fácil aceitar aquilo na sua vida, mas eu garanto que esses momentos de descoberta e aprendizado são os mais importantes do relacionamento.

Aprender a resolver problemas

Junto com as descobertas vêm os problemas. Por melhor que seja o relacionamento de vocês, os atritos vão acontecer o tempo todo e isso pode ou não virar um problema grande. Quando você dividir sua vida com alguém, vai descobrir que brigas não são tão legais e que atrapalham muito a convivência. Ter uma DR pra cada atrito que surge parece bem cansativo, mas pode ter certeza que acumular coisas ruins que acontecem e ter que resolver um problema enorme depois não é a melhor saída (falamos sobre discussão de relacionamento nesse post aqui, vale a leitura).

Aos poucos vocês vão descobrindo qual a melhor forma de resolver os atritos e como fazer para que as diferenças entre vocês sirvam como aprendizado e não atrapalhem o relacionamento. Quando você aprende a resolver os problemas dentro de casa, descobre que o jeito como você age nessas situações pode te ajudar em outros ambientes também, como no trabalho ou na faculdade, é só uma questão de adaptação e você transforma todos os seus relacionamentos em algo agradável (na medida do possível, né? Tudo faz parte de um processo e não vai ser simples e maravilhoso logo de cara).

Aprender a ter empatia e paciência

Quando você se deparar com essa quantidade de atritos e problemas, vai perceber que pra resolver tudo isso como eu mencionei no tópico anterior é necessário ter muito mais paciência do que você imagina. E ter paciência não é só ignorar o que está acontecendo ou tratar aquela determinada situação superficialmente, é ter empatia pela outra pessoa e entender como ela está se sentindo.

Parece complicado e é mesmo, mas se você estiver disposto a fazer com que o relacionamento de vocês funcione, com o tempo você vai perceber que não vai precisar se forçar a ter empatia, isso vai fazer parte da sua vida e deixar tudo mais leve. Ter empatia e paciência não faz bem só pra outra pessoa, faz bem pra você também e todos ao seu redor vão perceber isso.

Morar junto não significa que depois de um tempo você vai assinar os papéis e casar oficialmente com a outra pessoa. Vocês podem perceber ao longo do caminho que funcionam melhor separados e tudo bem se isso acontecer. Na minha opinião, esse período não determina se vocês passarão ou não muito tempo juntos, se assinarão ou não os papéis, mas mostra quem você é e como você lida com tudo isso. Se você se frustrar, use isso como aprendizado também e faça diferente numa próxima vez, sempre lembrando que as pessoas são diferentes e merecem respeito em qualquer situação.

Já passou por algo assim? Você também mora com o seu namorado? Divide sua experiência com a gente aqui nos comentários e acompanhe os próximos posts que estão bem legais!

5 piores coisas da vida adulta

Publicado em Top 5
Coisas da vida adulta

Já vai completar um ano que nos mudamos pra Curitiba e, ao longo desse período, pudemos constatar que essa vida não é nada fácil, principalmente pra duas criaturas sem noção como o Thiago e eu. A parte mais assustadora de todas é virar uma pessoa adulta de uma hora pra outra e ter que se virar sozinha, então, pra você que está achando que vai ser tudo maravilhoso, listamos as 5 piores coisas da vida adulta.

Antes de começar, vou logo dizendo que não quero desmotivar ninguém e nem deixar os pais animados achando que os filhos vão sair de casa e virar adultos responsáveis num passe de mágica. Um ano se passou e eu ainda ligo muito pra minha mãe, pro meu pai e pra minha avó pra pedir socorro (acho que nunca vou aprender todos os paranauês que eles sabem). E, se você está pensando em sair de casa, não quero te assustar, mas preciso te alertar sobre essas coisas para que você já comece a se preparar.

Usar o telefone

Me desculpem por já começar com a pior de todas as coisas. Isso é imbatível e eu sinto vontade de chorar escrevendo sobre o assunto. No meu mundo as coisas se resolvem pela internet, mas, aparentemente, existem pessoas (muitas pessoas) que só utilizam telefone pra tudo. Como pode? Você já está com um problema, tá preocupado com aquilo e aí descobre que vai precisar colocar crédito no celular e fazer uma ligação. Ah, vida, por que tão injusta?

E, se você está achando que isso é ruim, saiba que piora. A gente chega num estágio que, depois de ser obrigado a resolver tudo por telefone, você já está querendo fazer ligações por conta própria e achando que falar com as pessoas é mais fácil do que mandar um e-mail ou mensagem no WhatsApp. É, isso pra mim resume a vida adulta.

Sentir sono

Não dá pra explicar o tamanho desse desespero. Um dia só tem 24 horas e a gente precisa se virar do avesso pra conseguir dar conta de tudo. Essa vida é muito insana, sério! Você tem que acordar antes do sol nascer e só vai dormir quando já está perto da hora de acordar de novo, e muitas vezes você nem conseguiu terminar tudo que estava fazendo.

Passar o dia todo com sono é tão triste que te faz lembrar a época do colégio como se fosse a melhor da vida, quando você chegava da escola, almoçava (o almoço já estava pronto, inclusive, e agora você precisa pagar pela sua comida ou ir até a cozinha preparar alguma coisa pra comer), dormia com o prato em cima da barriga e só acordava pra assistir Disk MTV. Depois disso, precisava encontrar um tempo pra fazer a lição de casa e falar com os amigos no MSN. É, amigos, vivam com isso! O sono vai te acompanhar durante toda a sua vida e não importa o quanto você durma aos fins de semana, você nunca vai se sentir satisfeito.

Fazer contas

Você sabia que depois que você passa a morar sozinho, você ganha dons matemáticos incríveis? Pois é, você vai ao mercado, começa a fazer suas compras e as contas começam a fluir dentro da sua cabeça de um jeito mágico e, ao mesmo tempo, você começa a incrementar esses números com os gastos que você teve por tomar banhos longos e super quentes nesse mês gelado e com a TV que passou mais tempo ligada do que de costume e no final de tudo isso, você só tem vontade de sentar no chão e chorar.

Pagar contas é triste porque o seu dinheiro sofrido vai embora assim que ele chega na sua conta, e é mais triste ainda porque você precisa passar o mês inteiro fazendo contas e esperando por esse momento devastador. Embora eu tenha esperanças, eu sinto que isso só vai piorar com o tempo. Sinto muito por te avisar uma coisa assustadora como essa.

Ficar doente

Não queria me repetir, mas o telefone está incluso nesse fato também e eu fico indignada com isso, de verdade. Primeiro que ninguém te manda sair de blusa e levar o guarda-chuva, logo, você fica doente com frequência e aprende na marra que, se você não se cuidar, vai sofrer as consequências. Quais são as consequências? Ter que pegar o telefone e marcar uma consulta no médico e ainda ter que ir até lá sozinho. E tem mais, não tem ninguém pra te mimar. Se você mora com alguém, pode ser que tenha um colo pra te confortar nesse momento terrível, mas se você mora sozinho, tá muito ferrado.

Minha dica nesse caso é: se cuide muito bem, tome vitaminas, se alimente direito, não esquece o guarda-chuva e todas essas coisas que eu sei que você ouviu a vida inteira e achava que estava ignorando, mas na verdade você se lembra. E, se ainda assim você ficar doente, vai aprender que o seu organismo é maravilhoso e se cura sozinho muitas vezes, porque, né, a gente não marca médico coisa nenhuma, mesmo precisando.

Resolver problemas

Embora eu fosse relativamente ativa morando com a minha mãe e ajudasse nos problemas da casa, eu não sabia que era possível acumular tantos problemas num espaço tão pequeno. Tudo para de funcionar, tudo some, pra tudo tem um prazo e você precisa aprender a lidar com isso, e pior, você precisa aprender a lidar com pessoas. Quando você precisa resolver os seus problemas (por telefone, na maioria dos casos), você descobre que nada é simples, que ninguém te entende e começa a valorizar muito a época que tinha alguém pra fazer isso por você e a entender quando sua mãe ficava se descabelando e berrando pela casa só porque uma lâmpada queimou.

Ser adulto é sentir o peso dessas coisas que parecem pequenas, mas que acontecem todos os dias e não dá pra simplesmente ignorar aquilo. Mais complicado do que aprender a lidar com as pessoas, é aprender a lidar com você e entender que ficar frustrado vai fazer parte da sua rotina e que mesmo assim você precisa passar por isso e resolver os seus problemas da melhor maneira possível.

Chega, né? Eu senti que peguei pesado com vocês, mas não fiquem achando que é tudo ruim porque é tudo bem pior do que isso. Eu só listei 5 coisas pra não causar um impacto tão grande na vida de vocês, mas a verdade é que existem muito mais coisas que a gente só descobre depois de passar por isso. Você tem algum outro fato pra encaixar nessa lista ou alguma pergunta sobre o assunto? Compartilha com a gente aqui nos comentários!