O que nós sabemos sobre educar filhos?

Publicado em Cotidiano
Educar filhos

Tem uma coisa que anda me intrigando muito e eu queria compartilhar com vocês. Desde que a Bia começou a me explicar o que ela já estudou sobre parto humanizado, criação com apego, Método Montessori e sobre tudo que é relacionado a educação infantil, eu tenho percebido o quanto eu sou ignorante no assunto.

Educar filhos parece uma tarefa bem distante, quando pensamos nas nossas prioridades. Enquanto estamos preocupados com nossos trabalhos, saúde e relações amorosas, nós nos esquecemos completamente de estudar sobre a criação dos filhos. Talvez a gente crie uma falsa sensação de que, durante os nove meses da gravidez, nos tornaremos aptos pra desenvolver qualquer tarefa materna/paterna. O problema é que não tenho visto por aí ninguém se preocupando sobre o assunto, nem antes de engravidar, nem durante a gestação ou mesmo quando já se tem filhos.

Se compararmos o ato de educar filhos com qualquer profissão, veríamos o quão inconsequente é começar a aprender uma tarefa somente baseado no que você acha que é certo, ou baseado no que os seus pais disseram. Seus filhos serão educados por um método de repetição do que os seus pais fizeram com você e o que os seus avós fizeram com eles. Ou seja, basicamente ninguém sabe de fato o que está fazendo com os filhos.

Devo admitir que continuo sem dominar ou sequer saber muita coisa sobre educar filhos, mas o que ando refletindo é justamente a importância de começar a me preocupar desde já com isso. Se eu e a Bia pretendemos ter nosso primeiro filho daqui uns três anos, já passou da hora de começarmos a saber o que fazer. E você, se pensa em ter filhos em algum momento da sua vida, seja daqui um ano ou dez, deveria buscar se informar melhor também.

Existe uma infinidade de informação disponível sobre o assunto. Desde livros específicos para cada fase da criança até artigos de especialistas e blogs focados em criação e educação infantil, como o blog do Paizinho, Vírgula, o site Socorro, meu filho não estuda e o canal no YouTube da Flávia Calina. Não sei quais são os seus princípios e o que você pretende passar para os seus filhos, mas tenho certeza que nesse universo de conteúdo você vai conseguir achar os métodos que mais se encaixam na sua forma de ver o mundo.

Eu não duvido do amor incondicional de um pai e de uma mãe por suas crianças, mas como eu disse antes, parece que ninguém sabe muito bem o que está fazendo. Bater ou não bater? Deixar de castigo ou dar toda a liberdade do mundo? Ser linha dura ou ser parceiro? Pegar no colo quando está chorando ou não? É natural que a gente tenha dúvidas de como lidar com os filhos, mas ao invés de buscarmos formas eficazes de como resolver essas questões, preferimos confiar exclusivamente na nossa opinião. E quando decidimos ir um pouco mais além, a gente pede, no máximo, a opinião dos nossos pais e avós. E tudo vai virando uma bola de neve.

Vale lembrar, por contraponto, que teoria nenhuma vai servir se a prática não acontecer de forma adequada. Assim como diplomas na parede não garantem que um profissional seja bom no que faz, tudo o que você aprender sobre como educar filhos não vai te fazer necessariamente um bom pai ou uma boa mãe. Mas com certeza vai ajudar muito no processo.

É curioso como a gente estuda sobre tantas coisas pra podermos expandir nossos conhecimentos, mas continuamos lidando com a educação infantil na base do achismo. E, conforme os anos passam, vamos jogando a responsabilidade dos nossos erros nos nossos filhos, como se eles fossem as piores pessoas do mundo.

É hora de rever os nossos princípios. Precisamos questionar o que acreditamos e ver se é isso o que queremos ensinar às próximas gerações. Temos que ser mais conscientes do que estamos fazendo e buscar mais informação sobre como lidar com aqueles que são tão importantes nas nossas vidas: os nossos filhos.


Aproveite para ler também o post da Bia:

E deixo aqui alguns artigos interessantes sobre o assunto: