Wishlist na Leroy Merlin – Até R$100

Publicado em Inspirações, Wishlist

Pra quem ainda não sabe, nós acabamos de nos mudar de Curitiba para São Paulo (se você quiser saber mais sobre os motivos dessa mudança, pode ler sobre o assunto neste post aqui) e ainda estamos nos ajeitando no novo/velho apartamento. Nós adoramos decoração e temos várias ideias para por em prática e, neste primeiro momento, as lojas de material de construção/decoração/tudo que existe nesse mundo são a nossa salvação, já que dá pra encontrar de tudo num lugar só. Separei neste post as coisas que mais estamos precisando agora e que tem um preço bem amigável. Corre pra descobrir quais são os itens dessa wishlist na Leroy Merlin baratinha com produtos de até R$100.

Wishlist na Leroy Merlin

1. Adesivo de azulejo com estampa geométrica – Adesivo de azulejo foi a invenção mais legal e facilitadora dos últimos tempos. Pra deixar uma cozinha divertida antigamente (nem tão antigamente assim) era necessário gastar muito dinheiro investindo em móveis descolados, eletrodomésticos com cores diferentes e utensílios com estampas ou padrões um pouco menos comuns. Hoje dá pra deixar a cozinha menos chata com os adesivos e, caso você se canse, dá pra mudar tudo em minutos gastando pouco. A variedade de estampas é enorme e com certeza alguma vai te agradar e combinar com o estilo que você está procurando.

2. Cortinas Blackout – Morar em apartamento é complicado. Morar em apartamento em São Paulo é mais complicado ainda. O prédio da frente é tão grudado ao nosso que daria pra gente dividir a TV com o apartamento do vizinho e nós poderíamos assistir juntos, como uma grande família. É sério! Pra minimizar essa falta de privacidade, as cortinas são importantes e, na minha opinião, as cortinas blackout são as melhores. Quase não passa luz e são discretas, ou seja, não interferem muito na decoração.

3. Jardim vertical – Acho demais quem tem uma casa e consegue ter no quintal uma horta bonitinha e cheia de saúde, mas sei que a realidade de muitos é como a nossa: um apartamento pequeno e sem espaço pra nada. Porém, os jardins verticais estão muito em alta e isso é maravilhoso. Cabe em qualquer espacinho e deixa a casa ou o apartamento mais aconchegante e prática. Poder ter várias flores ou cultivar os temperos pra sua comida fresquinhos ali na sua varanda é sensacional, não é?

4. Cestos organizadores – Se você tem pouco espaço e coisas demais ou só tem mania de deixar tudo arrumadinho vai ter como aliado os cestos organizadores. Eles são úteis em todos os ambientes e servem para guardar absolutamente tudo, desde cosméticos no banheiro até brinquedos no quarto das crianças. Se no seu caso, assim como no nosso, faltam armários e os cestos ficarão visíveis, tem opções baratas e muito bonitas, que compõem a decoração e ainda ajudam a deixar tudo no seu devido lugar, sem bagunça.

5. Fita dupla face da salvação – Pra quem precisa pendurar algo na parede e não quer/não pode encher o apartamento de pregos ou não tem a menor afinidade com o martelo, está com os problemas resolvidos. Essa fita dupla face cola até o seu marido na parede se precisar, de verdade. É fácil de colocar, fácil de tirar e é indispensável aqui em casa. Antes de comprar, verifique a quantidade de peso que ela aguenta pra que nada despenque da sua parede. Existem várias opções de tamanhos e potências diferentes.

6. Capas de almofada – Nem sempre a gente tem coragem de ousar na decoração e comprar tudo colorido ou estampado pra nossa sala. Eu, pelo menos, morro de medo de gastar muito dinheiro em algo exótico demais e que pode me deixar enjoada em pouco tempo. Uma alternativa interessante pra quem também prefere segurar a mão na decoração é comprar capas de almofadas diferentes e trocar de acordo com o seu humor, clima ou vontade. Aí sim dá pra comprar estampas e cores divertidas e, quando preferir algo mais sóbrio, é só abrir o zíper, tirar e colocar outra capa no lugar. Ouse sem medo de ser feliz!

7. Cordão de led – Eu sei que a maioria das pessoas só usa várias luzes fofas pela casa no Natal, mas agora existem no mercado cordões de led com um visual muito legal e despojado. Dá pra usar na sala ou no quarto como iluminação secundária, deixar o ambiente lindo e aconchegante. As luzes de bolinha são puro amor <3

8. Molduras simples – As paredes cheias de quadrinhos estão em quase todos os apartamentos e eu nunca vou me cansar delas. No apartamento de Curitiba nós fizemos um conjunto de quadros pra ilustrar as coisas que a gente mais ama (tinha de O Guia do Mochileiro das Galáxias até Sigur Rós) e aqui em São Paulo nós faremos de novo e vamos acrescentar alguns na nossa coleção. Eu sei que não é tão simples encontrar exatamente o quadro que estamos imaginando e é por isso que nós preferimos comprar molduras simples e mais baratas e procurar ou fazer nossa própria imagem. Assim temos exatamente o que queremos de um jeito mais simples e menos caro. Dá pra achar vários tipos de moldura, de vários tamanhos e cores.

9. Tecidos adesivos – Seguindo a mesma lógica dos adesivos de azulejo e das capas de almofadas, os tecidos também nos ajudam demais a incrementar a decoração sem medo de errar. Os tecidos dão uma cara nova pra móveis sem graça e podem mudar completamente um ambiente. O legal desses é que eles já vêm com cola e podem ser reposicionados, caso você queira tirar de um lugar e colocar em outro. Não é demais?


Esses foram os itens que, por enquanto, nós estamos precisando por aqui. Viu só como dá pra deixar a casa linda gastando pouco? Já fiz outras listas de coisas baratinhas aqui no blog (Wishlist na Imaginarium e Wishlist na Camicado) e logo volto com mais itens de alguma outra loja que a gente ama. Se tiverem alguma dica legal de produtos baratos ou alguma sugestão pra próxima lista, deixem aqui nos comentários pra nós, vamos adorar!

5 dicas para economizar o dinheiro do casal

Publicado em Cotidiano, Morando Junto
5 dicas para economizar o dinheiro do casal

Você já passou sufoco no final do mês e percebeu que precisa calcular melhor os seus gastos? Nós moramos sozinhos há pouco tempo e ainda estamos aprendendo a ter mais educação financeira e a poupar o dinheiro do casal. A gente sabe que não é fácil, mas existem algumas dicas para facilitar esse processo.

Congelar comida

Confesse, você também gasta pra caramba com comida, né? É difícil economizar nessa parte, principalmente com a correria que é a vida da maioria das pessoas. Se falta tempo pra comer, imagina o tempo que sobra pra cozinhar, né? Graças a isso, vivemos comendo qualquer coisa por aí ou apelando para os aplicativos de pedir de comida e, pronto, o dinheiro some e nem percebemos.

O que funcionou pra gente e ajuda muito na hora da correria é ter comida congelada em casa. E não tô falando de lasanha e nuggets (eca!), tô falando comida mesmo, feita com amor em casa. Congelar vegetais já cozidos, feijão, sopas e o que mais você quiser deixar pronto, é fundamental para que os fast foods saiam um pouco da sua rotina. Na hora da preguiça ou da pressa, ter algo que só precisa ir no microondas e tá pronto é maravilhoso.

Porém, existem cuidados que precisam ser tomados antes de congelar certos alimentos para que eles não estraguem e não percam nutrientes. Vou deixar pra vocês alguns vídeos que me ajudaram bastante nesse quesito.

Usar aplicativos ou planilha de gastos

É o que todo especialista em economia sugere e o que mais nos assusta. Nem sempre estamos preparados pra saber na real o quanto entra e, principalmente, quanto sai da nossa conta todos os meses. Fico triste só de pensar no assunto, mas é um ponto importante se você quer realmente economizar uma grana.

Com os apps e planilhas fica mais fácil acompanhar os gastos e visualizar as transações que fazemos durante o mês. É um pouco chato e sei que a maioria das pessoas (nos incluímos nessa lista) não estão acostumados a planejar os gastos e controlar as finanças, mas chega uma hora que isso deixa de ser só importante, passa a ser indispensável. Quanto antes você começar, melhor.

Aproveito para sugerir um blog pra vocês, o Morando Sozinha. A Fran Guarnieri, dona do blog, sempre dá dicas valiosas pra quem mora sozinho e não tem muita experiência no assunto ou até tem, mas gosta deste tipo de conteúdo. O blog é uma graça e super útil. Vou deixar aqui o link para a planilha de controle financeiro que ela disponibilizou para download no blog dela. Baixem e aproveitem para dar uma conferida nos outros posts.

Queimar os cartões de crédito

Tem quem ame, eu sei, mas eu queria que os cartões de crédito deixassem de existir e parassem de f$&?@ com a vida das pessoas. Juros e mais juros, prestações minúsculas que se estendem por anos, dívidas enormes e toda uma vida prejudicada por conta de cartões que são empurrados para todo mundo o tempo todo. Vocês não sabem como isso me dá raiva!

São tantos os motivos que existem para que você deixe de usar os cartões de crédito que vai ser até chato se eu ficar falando todos eles aqui, então, só vou dizer uma coisa: QUEIMA LOGO ESSA PORCARIA! E se você já estava pensando nisso mas ainda não aboliu o uso desses cartões tão perigosos, usa o post como um incentivo e para agora com esse hábito horrível.

Se mesmo sabendo dos problemas você não consegue ou não pode deixar de usar seu cartão, sugiro que você pesquise sobre o Nubank. Começamos a usá-lo tem pouco tempo e estamos gostando muito, então acho que essa pode ser uma boa solução nos casos que o cartão de crédito é indispensável. Com o Nubank dá pra acompanhar direitinho os gastos que temos com o cartão e controlar tudo pelo App. Caso você não saiba do que eu estou falando, entra lá no site deles e dá uma olhada, é bem legal.

Definir metas

Depois que você começar a usar as planilhas, vai ficar mais fácil definir o quanto você pode gastar com cada coisa e isso vai te possibilitar definir metas. É muito importante que você aprenda a ter limites e foco e assim conseguir economizar um bom dinheiro todos os meses. Comece a definir quanto você pode gastar, quanto você quer ganhar, quanto você quer guardar, quanto você quer doar e assim por diante.

Depois de algum tempo acompanhando os seus gastos e definindo suas metas, você vai entender quais são as mais fáceis e quais são mais difíceis de cumprir. Desta forma, você se esforça para alcançar os objetivos e adapta sua rotina de gastos para completar as metas que são mais complicadas pra você. Quem sabe você não consegue diminuir um pouco os gastos e poupar uma grana maior todo mês? Se desafie e aprenda a ter disciplina na hora de lidar com o dinheiro.

Nunca gaste tudo que você tem

Acho que esse dica é um compilado de todas as outras e a mais importante delas. Por favor, nunca gaste tudo que você tem e, principalmente, nunca gaste o que você não tem. Os cartões de crédito fazem com que a gente conte com um dinheiro que ainda vai entrar e esse é um erro fatal. Não planejar os gastos faz com que a gente gaste, por vezes, mais do que temos condições de gastar e com isso as dívidas se acumulam. Deixar de criar metas e de entender o seu perfil consumidor faz com que a gente se perca e não consiga economizar tanto quanto queremos e aí, como em todos os outros casos, nos vemos tendo que gastar todo o nosso dinheiro (o que temos e o que teríamos).

Se você ainda está começando nesse árduo caminho, saiba que só pagar as contas em dia e não acumular dívidas não é o suficiente. Poupe o seu dinheiro, faça uma reserva e lembre-se sempre de nunca gastar tudo que você tem. Imprevistos acontecem o tempo todo e muitas vezes você não terá alguém pra te socorrer. Esteja sempre preparado pra emergências e separe um dinheiro que você só vai mexer em último caso, mas último caso mesmo. Essa prática vai fazer com que você fique mais tranquilo e possa cumprir os seus objetivos mais facilmente.


Espero que essas dicas te ajudem nessa caminhada difícil e que te incentivem a sempre buscar maneiras de otimizar o seu tempo e dinheiro. Você tem alguma dificuldade específica? Tem alguma dica valiosa que eu não citei no post? Compartilhe com a gente, vamos adorar saber suas experiências e sugestões.

Morando longe da família

Publicado em Cotidiano, Morando Junto
Morando longe da família

Estamos morando em São Paulo novamente há quase duas semanas e, desde que voltamos de Curitiba, algumas percepções sobre a vida adulta foram atualizadas. Uma delas é a questão de deixarmos nossos pais e estarmos morando longe da família.

Tenho lido na internet alguns posts de pessoas que se mudam de cidade para estudar numa universidade federal ou porque arrumaram aquele estágio que só é possível de conseguir estando numa cidade grande como São Paulo. E a maior preocupação delas, sem dúvida, é de como vão se virar sozinhas, num lugar desconhecido. Bom, de certa forma, isso também aconteceu com a gente.

Logo que decidimos mudar para Curitiba, a presença da minha família e da família da Bia foram essenciais no processo. Nossos pais, irmãos, tios e avós ajudaram financeiramente como podiam, sem contar toda a ajuda que nos deram para empacotar e embalar todas as nossas coisas. Uma vez que já estávamos em Curitiba com tantas coisas para resolver, percebemos o quão difícil seria levar a vida longe de quase todas as pessoas que conhecemos.

Durante um ano morando longe da família na capital mais fria do Brasil, apesar dos pesares, até que conseguimos nos virar muito bem sem nossos parentes por perto. Não tínhamos carro e não conhecíamos muita gente na cidade; quem a gente conhecia não morava muito perto do nosso apartamento. Assim, acabamos aprendendo a fazer muitas coisas por conta própria, mas estávamos sempre fazendo ligações para nossas mães. Afinal mãe sempre sabe resolver as coisas, mesmo de longe.

O que mais me preocupava, no entanto, era o fato de que eu estava trabalhando bem longe e passava mais de 12 horas fora. A Bia trabalhava em casa e passava praticamente o dia todo sozinha, inclusive durante as crises de pânico (leia o relato dela sobre o pânico aqui) ou qualquer outro mal-estar que estivesse sentindo. Algumas vezes, inclusive, precisei sair às pressas do trabalho e ir para casa ficar com ela. As vezes em que precisamos ir a algum hospital também foram complicadas, já que não tínhamos (nem temos) carro.

Felizmente, nunca aconteceu nenhuma situação tão grave que não conseguimos resolver. Mas deixava a gente um pouco tenso saber que estávamos morando longe da família e que, numa emergência, tudo poderia ser mais complicado. Agora, de volta a São Paulo, temos refletido melhor sobre isso.

Aqui onde estamos morando, conhecemos muita gente. Além de alguns vizinhos e porteiros, podemos contar com minhas irmãs, que também são da região. Nossas mães moram no interior, mas em questão de três horas, já estamos na cidade em que está a família da Bia. Nesse apartamento em que estamos, continuamos morando só nós dois e temos resolvido quase tudo por conta própria, como já era antes, mas percebemos que estar um pouco mais perto da família tem suas vantagens. Não só para emergências, mas por estar próximo mesmo. Temos visto minhas sobrinhas com mais frequência e acompanhar a infância delas mais de perto é muito gratificante para nós. Estamos sendo ajudados por nossas famílias, mas agora também podemos ajudar com o que der, caso precisem. Existem brigas, como em todas as famílias, mas também existe um “conte comigo” que estávamos sentindo falta.

Como falamos no post Top 5 – Países incríveis que queremos conhecer, estamos num processo de solicitação de visto para o Canadá, então pode ser que daqui alguns anos acabemos passando por todos esses dilemas novamente, e será ainda mais intenso quando tivermos filhos.

Mas quem sabe o que vem pela frente, né? Não sabemos, mas estamos esperando ansiosamente.