O que mudou em nós depois de 1 ano sem carne

Publicado em Alimentação
1 ano sem carne

No próximo mês nós completamos 1 ano sem carne. Pode parecer pouco tempo, mas durante esse período muitas coisas mudaram na nossa vida e no nosso jeito de lidar com o vegetarianismo. Como é uma marca importante pra gente, decidimos fazer um post para compartilhar com vocês as diferenças que percebemos ao longo desses 365 dias.

Primeiros dias sem carne x 1 ano sem carne

O cheiro

Quando decidimos parar mesmo com o consumo de carne (sim, até com o peixe) nós ainda passávamos sufoco com o cheiro de carne nos lugares. A gente achava bem agradável e dava vontade de sair comendo tudo o que aparecesse pela frente, embora a gente nunca tenha tido nenhum deslize.

Um ano depois isso já mudou completamente. O cheiro da carne nos deixa enjoados (e não, não é frescura, eu juro), parece que junto com o cheiro vem um nó na garganta difícil de se desfazer. Já não sentimos vontade alguma e passamos a nos incomodar com o cheiro de bacon absurdo que exala de todos os lugares que entramos.

Refeições fora de casa

Começamos a reparar na falta de opções vegetarianas nos restaurantes. Notamos que, quando tinham uma “opção vegetariana”, a carne era substituída por omelete ou ovo frito. Nós não comemos ovos, mas o que nos deixa com mais raiva é que, claramente, esse não é um prato que foi pensado para vegetarianos e sim uma opção qualquer sem carne que jogaram no cardápio sem o menor interesse em realmente atender esse público. Além da falta de opções vegetarianas, ficou evidente que as pessoas não sabem mais cozinhar sem precisar enfiar carne em todos os lugares. O feijão é lotado de linguiça, a couve tem bacon, na salada tem atum, o macarrão tem carne moída… É uma tristeza.

Era complicado passar por isso no começo e dava um desespero não saber o que comer quando estávamos fora de casa. Um ano depois nós ainda nos sentimos negligenciados, mas aprendemos a escolher melhor os nossos pratos e a reclamar nos restaurantes que vamos e que não têm alguma opção ou que enchem até a salada com carne. Precisamos que nos vejam e que nos respeitem, não podemos deixar pra lá e esperar que entendam o nosso lado sozinhos.

Refeições em casa

No começo nós sentíamos que a carne tinha que ser substituída. Não dava pra montar um prato sem “carne”, então encontramos na soja uma solução fácil e gostosa. A gente tinha a impressão que precisávamos usar soja em tudo que a gente fosse preparar e isso não é muito saudável (nem necessário). Começamos a pesquisar sobre a soja e descobrimos o quanto ela é perigosa (posso fazer um post só sobre isso, se for interessante pra vocês).

Agora as refeições mudaram completamente. Conseguimos lidar melhor com os nossos pratos e entendemos a construção das nossas refeições e sabemos que isso vai muito além do arroz, feijão e soja (ou carne). Aprendemos a fazer receitas incríveis com ingredientes ricos em nutrientes e a usar tudo que existe na nossa geladeira de diferentes formas e sem desperdício. Descobrimos que a berinjela, abobrinha, grão de bico, castanhas, couve-flor, etc rendem pratos dignos de restaurantes cinco estrelas e que dá pra substituir tudo de origem animal das receitas por ingredientes vegetais (se quiserem um post com as substituições e receitas que nós mais gostamos, peçam aqui nos comentários e eu faço). Isso mudou nossas vidas.

Discussões

Os primeiros dias sem carne vieram com as primeiras perguntas sobre os motivos que nos levaram ao vegetarianismo e se paramos até com o peixe (sério, perguntam muito isso). A gente achava que todas as pessoas ao nosso redor precisavam se converter e aceitar o vegetarianismo nas suas vidas, custe o que custar e, por isso, todas as vezes que nos faziam perguntas, nós passávamos horas e mais horas tentando convencer as pessoas que ser vegetariano é a melhor decisão que se pode tomar.

Agora, depois de muito tempo falando sobre o assunto com pessoas que não estavam interessadas, nós aprendemos que nem sempre precisamos falar sobre isso por tanto tempo e com todas as pessoas. Quando temos a oportunidade ou quando percebemos que existe alguém interessado, nós explicamos a nossa visão ideológica e política do vegetarianismo e tiramos as dúvidas que sempre surgem. Descobrimos jeitos de fazer com que as pessoas tenham mais empatia e, com certeza, a agressividade não é o melhor caminho se você quer a atenção e o respeito de quem quer que seja.


Depois de um ano, muita coisa mudou. Nossa cabeça se abriu pra uma causa antes inconscientemente ignorada por nós. Hoje queremos ir além. Queremos parar com o consumo de todo e qualquer produto de origem animal e pode até não ser fácil, mas somos determinados e sabemos que essa decisão é a que mais condiz com o que sentimos.

Se você também tem vontade de parar com o consumo de carne e de produtos de origem animal, saiba que é possível e que aos poucos tudo se ajeita. Assista aos documentários que existem na internet (fizemos uma lista com os nossos favoritos e você pode acessar aqui), leia tudo que encontrar sobre o assunto, aprenda novas receitas e converse com quem já passou por esse processo.

Em breve voltamos com mais posts sobre esse assunto e caso tenham alguma pergunta, dúvida ou sugestão, deixem aqui nos comentários que nós respondemos.

Feira vegana em Curitiba

Publicado em Alimentação, Cotidiano
Feira Vegana em Curitiba

Hoje aconteceu o Cruelty Free Day, uma feira vegana em Curitiba de entrada gratuita que promove um dia inteiro destinado a alimentação, saúde, beleza, cuidados pessoais, arte e terapias. Das 10h às 18h30, mais de oito produtores locais de gastronomia vegana estiveram presentes, além de produtores de bio-cosméticos que ofereceram cursos e colocaram seus produtos em exposição e empreendedores de diversas áreas que não praticam a crueldade animal em seus negócios.

Eu e a Bia já estávamos nos programando há tempos para conhecer os eventos veganos em Curitiba e essa foi uma ótima experiência para começar. O evento aconteceu na Estação de Permacultura Vegana Tanguá, onde já ocorreram diversas outras feiras voltadas para o público vegan. Com tendas montadas ao ar livre, num dia não muito frio em Curitiba (milagre!), o ambiente era familiar e muito agradável para quem estava lá. As pessoas, tanto vendedores quanto consumidores, estavam sempre dispostas a conversar, ajudar e entender melhor os produtos e serviços oferecidos.

Feira Vegana em Curitiba

Feira Vegana em Curitiba

Fada Vegana Estética

Na gastronomia, a gente provou coxinhas de jaca, pastel de cogumelos, quibe de soja e doces frugívoros a preços bem justos. Também conhecemos produtos e cosméticos não testados em animais, óleos essenciais terapêuticos e até bicicletas restauradas e filtros dos sonhos energéticos. Por fim, acabamos trazendo da feira vegana em Curitiba uma suculenta num vasinho divertido de porquinho (da Verdólatras) e a Bia finalmente comprou um coletor menstrual, que ela queria há tanto tempo.

Feira Vegana em Curitiba

Vegan Flavor – Salgados Veganos

Feira Vegana em Curitiba

Zanquetta – Alimentos Congelados (aceitam encomendas de salgados)

Feira Vegana em Curitiba

Elo Violeta – Aliment’O Amor

Feira Vegana em Curitiba

Haro Bikes – Customização de Bicicletas (alugam para fotos e eventos)

Feira Vegana em Curitiba

Verdólatras

Feira Vegana em Curitiba

Cuidado Vital

Abaixo vocês podem conferir uma lista com todos os expositores que estavam no evento (com links para seus produtos e serviços):

Produtores de Cosméticos e Terapeutas:

Fada Vegana
Cuidado Vital
Anandani
Colo da Terra
Prema
Mahast
Verbo da Flor
Amber
Injasmin
Manacá
Encanto Lunar
Medicina Florais das Araucárias
Sinergias Vibracionais
Território Zen
Thru Therapy

Gastronomia Vegana:

Veganinha
Feijón
Zanquetta
Bolo de Café com Bolo
Babycake
Vegan Flavor
Hangry Grrrls
Lucha Libre
Alimentação Frugívora

Oficina:

Oficina de Cosmética Natural – Produção de Cosméticos Naturais, Tratamentos, Cuidados e Beleza Natural

Feira Vegana em Curitiba

Top 5 – Documentários sobre veganismo

Publicado em Alimentação, Top 5
Documentários sobre veganismo

Se você, assim como nós, está no processo de parar com o consumo de produtos e alimentos de origem animal, essa lista é pra você. Separei nesse top 5 os melhores documentários sobre veganismo, que vão te fazer refletir com mais profundidade sobre o assunto e (talvez) te convencer de que a tortura animal é muito maior do que qualquer desculpa de tratamento e abatimento humanizado. O tema é extenso e ainda há muito o que conhecer, mas acredito que essa lista já é um bom norte para começar.

5 – Garfos ao Invés de Facas

Conduzido por dois médicos que são referência da nutrição vegana, Dr. T. Colin Campbell e Dr. Caldwell Esselstyn, esse documentário associa o consumo de carne, leite e outros derivados animais às doenças degenerativas do ser humano, principalmente as cardíacas. Se você quer partir de uma questão de saúde para aderir ao veganismo, pode começar por aqui.

4 – Não Matarás

Uma produção brasileira, do Instituto Nina Rosa, sobre a utilização de animais no ensino e na pesquisa. Empresas e laboratórios são questionados sobre a moral da experimentação em animais em prol da ciência e suas consequências. Base de um sistema que mantém produtos de limpeza, cosméticos e remédios, os testes realizados são parte fundamental da discussão vegana.

3 – A Carne é Fraca

Mais um documentário realizado pelo Instituto Nina Rosa, A Carne é Fraca apresenta os impactos que comer carne têm na saúde humana, na vida dos animais e no meio-ambiente. É sempre bom lembrar que todos os filmes dessa lista incluem cenas pesadíssimas dos maus tratos e tortura dos bichos, que não deixam de ser um alerta para nos atentarmos ao sofrimento encarcerado que a nossa espécie causa a eles.

2 – A Conspiração da Vaca: O Segredo da Sustentabilidade

Uma produção-executiva de ninguém menos do que Leonardo DiCaprio, Cowspiracy acompanha a trajetória do cineasta Kip Andersen, que escancara a indústria alimentícia e o sistema agropecuário, além de trazer números e dados que comprovam que o consumo de carne destrói mais florestas, polui e gasta mais água do que qualquer outra atividade no mundo.

1 – Terráqueos

Não conseguimos assistir esse até o fim, e é por isso que figura no topo da lista. Uma verdade bem cruel de como os animais são tratados ao redor do mundo, sejam os domésticos como os cães e gatos ou os criados para o consumo, como bois, porcos e aves. Ninguém se salva: pet-shops, abrigos, criação, abate, comércio de peles e couros, circos, rodeios, experimentos científicos, testes de cosméticos. Todas as indústrias e seus métodos nada agradáveis em função de um sistema de carnificina.

Ficou curioso para assistir esses documentários sobre veganismo? Sim, é muito difícil não ficar abalado depois de ver imagens chocantes como essas, mas nunca é tarde para mudar. Pesquise melhor sobre o assunto e valerá a pena.