3 coisas que só a vida adulta te ensina

Publicado em Cotidiano
3 coisas que só a vida adulta te ensina

Existem algumas coisas que só a vida adulta vai te ensinar, e eu resolvi listar as três que mais têm sido presentes na nossa vida. Se por um lado essas coisas nos alertam que estamos ficando velhos, por outro elas também mostram que estamos adquirindo experiência e habilidades que não tínhamos no auge da nossa juventude desvairada. Acompanhe:

1. Saber o preço de todos os produtos do mercado

Se você for como eu e não passou a sua infância/adolescência indo muito ao mercado, acredito que só teve que frequentar esse lugar quando precisava de duas coisas: Doritos e cerveja. Às vezes a gente precisava fazer aquela compra com os amigos pra fazer uma viagem pra praia, mas era raro.

O que tenho percebido agora, indo a mercados, supermercados e padarias com uma frequência praticamente diária, é que eu tenho na ponta da língua os preços de praticamente tudo que está nas gôndolas. Não estou falando só de refrigerante e sorvete, mas também das latas de milho, do pacote de farinha integral e do quilo dos legumes. Jesus, eu nunca pensei que eu saberia em qual mercado está compensando comprar brócolis e em qual está compensando comprar berinjela e tomate. Aliás, eu nunca achei que eu saberia diferenciar tomate italiano de tomate salada, ou que um dia eu iria falar que “as abobrinhas não estão bonitas hoje“. Há pouco tempo eu mal sabia diferenciar chuchu de abobrinha. Eu me sinto uma avó perguntando aos feirantes aquelas coisas que só as avós conseguem perceber.

2. Valorizar a distribuição do tempo

Quando a gente mora com nossos pais, não nos importamos muito com o tempo que temos. Se precisamos sair de manhã, a gente sabe que vai chegar em casa e a comida estará pronta e quentinha nos esperando. Se vamos numa festa à noite, tanto faz o que fizemos durante o resto do dia, contanto que a gente descanse o suficiente pra poder curtir depois.

Mas não pense que a vida será esse mar de rosas para sempre. Vai chegar um dia em que atividades como festas, cinema e balada vão se misturar com lavar o banheiro, fazer comida e arrumar a casa. E olha que a gente ainda nem tem filhos! Mas é sério, hoje a gente valoriza muito o tempo que nós temos, porque é uma sensação muito triste chegar em casa depois de trabalhar e ter que trabalhar ainda mais. Pra piorar, quanto mais velho vamos ficando, menos energia e disposição a gente tem pra fazer tudo isso. A vida é injusta mesmo!

3. Fazer todas as coisas renderem ao máximo

Esqueça o desperdício. A vida adulta vai te ensinar a mais valiosa das lições: tudo tem seu preço (e a maioria custou caro). E aí é que você começa a aprender os life hacks. Juntar vários sabonetes que estão no fim, colocar água no frasco com o restinho de xampu, usar o mínimo de detergente pra lavar louça, comprar aquelas embalagens que dão 250ml de brinde (não que a gente caia nessa de verdade, mas dá uma sensação de vitória), etc.

Se você conseguir viajar de carona, economizar algumas passagens de ônibus e aprender todos os DIY (do it yourself) que o YouTube possa te ensinar, além de aprender a fazer tarefas que você deveria chamar um encanador ou eletricista profissional pra fazer (mas você não tem medo de explodir tudo), talvez você consiga economizar uns trocados que vão fazer diferença no fim do mês.


Esses são os 3 aprendizados principais que a vida adulta tem nos proporcionado, mas existem muitos outros também. Quais você incluiria nessa lista? Conta aqui pra gente nos comentários!

5 piores coisas da vida adulta

Publicado em Top 5
Coisas da vida adulta

Já vai completar um ano que nos mudamos pra Curitiba e, ao longo desse período, pudemos constatar que essa vida não é nada fácil, principalmente pra duas criaturas sem noção como o Thiago e eu. A parte mais assustadora de todas é virar uma pessoa adulta de uma hora pra outra e ter que se virar sozinha, então, pra você que está achando que vai ser tudo maravilhoso, listamos as 5 piores coisas da vida adulta.

Antes de começar, vou logo dizendo que não quero desmotivar ninguém e nem deixar os pais animados achando que os filhos vão sair de casa e virar adultos responsáveis num passe de mágica. Um ano se passou e eu ainda ligo muito pra minha mãe, pro meu pai e pra minha avó pra pedir socorro (acho que nunca vou aprender todos os paranauês que eles sabem). E, se você está pensando em sair de casa, não quero te assustar, mas preciso te alertar sobre essas coisas para que você já comece a se preparar.

Usar o telefone

Me desculpem por já começar com a pior de todas as coisas. Isso é imbatível e eu sinto vontade de chorar escrevendo sobre o assunto. No meu mundo as coisas se resolvem pela internet, mas, aparentemente, existem pessoas (muitas pessoas) que só utilizam telefone pra tudo. Como pode? Você já está com um problema, tá preocupado com aquilo e aí descobre que vai precisar colocar crédito no celular e fazer uma ligação. Ah, vida, por que tão injusta?

E, se você está achando que isso é ruim, saiba que piora. A gente chega num estágio que, depois de ser obrigado a resolver tudo por telefone, você já está querendo fazer ligações por conta própria e achando que falar com as pessoas é mais fácil do que mandar um e-mail ou mensagem no WhatsApp. É, isso pra mim resume a vida adulta.

Sentir sono

Não dá pra explicar o tamanho desse desespero. Um dia só tem 24 horas e a gente precisa se virar do avesso pra conseguir dar conta de tudo. Essa vida é muito insana, sério! Você tem que acordar antes do sol nascer e só vai dormir quando já está perto da hora de acordar de novo, e muitas vezes você nem conseguiu terminar tudo que estava fazendo.

Passar o dia todo com sono é tão triste que te faz lembrar a época do colégio como se fosse a melhor da vida, quando você chegava da escola, almoçava (o almoço já estava pronto, inclusive, e agora você precisa pagar pela sua comida ou ir até a cozinha preparar alguma coisa pra comer), dormia com o prato em cima da barriga e só acordava pra assistir Disk MTV. Depois disso, precisava encontrar um tempo pra fazer a lição de casa e falar com os amigos no MSN. É, amigos, vivam com isso! O sono vai te acompanhar durante toda a sua vida e não importa o quanto você durma aos fins de semana, você nunca vai se sentir satisfeito.

Fazer contas

Você sabia que depois que você passa a morar sozinho, você ganha dons matemáticos incríveis? Pois é, você vai ao mercado, começa a fazer suas compras e as contas começam a fluir dentro da sua cabeça de um jeito mágico e, ao mesmo tempo, você começa a incrementar esses números com os gastos que você teve por tomar banhos longos e super quentes nesse mês gelado e com a TV que passou mais tempo ligada do que de costume e no final de tudo isso, você só tem vontade de sentar no chão e chorar.

Pagar contas é triste porque o seu dinheiro sofrido vai embora assim que ele chega na sua conta, e é mais triste ainda porque você precisa passar o mês inteiro fazendo contas e esperando por esse momento devastador. Embora eu tenha esperanças, eu sinto que isso só vai piorar com o tempo. Sinto muito por te avisar uma coisa assustadora como essa.

Ficar doente

Não queria me repetir, mas o telefone está incluso nesse fato também e eu fico indignada com isso, de verdade. Primeiro que ninguém te manda sair de blusa e levar o guarda-chuva, logo, você fica doente com frequência e aprende na marra que, se você não se cuidar, vai sofrer as consequências. Quais são as consequências? Ter que pegar o telefone e marcar uma consulta no médico e ainda ter que ir até lá sozinho. E tem mais, não tem ninguém pra te mimar. Se você mora com alguém, pode ser que tenha um colo pra te confortar nesse momento terrível, mas se você mora sozinho, tá muito ferrado.

Minha dica nesse caso é: se cuide muito bem, tome vitaminas, se alimente direito, não esquece o guarda-chuva e todas essas coisas que eu sei que você ouviu a vida inteira e achava que estava ignorando, mas na verdade você se lembra. E, se ainda assim você ficar doente, vai aprender que o seu organismo é maravilhoso e se cura sozinho muitas vezes, porque, né, a gente não marca médico coisa nenhuma, mesmo precisando.

Resolver problemas

Embora eu fosse relativamente ativa morando com a minha mãe e ajudasse nos problemas da casa, eu não sabia que era possível acumular tantos problemas num espaço tão pequeno. Tudo para de funcionar, tudo some, pra tudo tem um prazo e você precisa aprender a lidar com isso, e pior, você precisa aprender a lidar com pessoas. Quando você precisa resolver os seus problemas (por telefone, na maioria dos casos), você descobre que nada é simples, que ninguém te entende e começa a valorizar muito a época que tinha alguém pra fazer isso por você e a entender quando sua mãe ficava se descabelando e berrando pela casa só porque uma lâmpada queimou.

Ser adulto é sentir o peso dessas coisas que parecem pequenas, mas que acontecem todos os dias e não dá pra simplesmente ignorar aquilo. Mais complicado do que aprender a lidar com as pessoas, é aprender a lidar com você e entender que ficar frustrado vai fazer parte da sua rotina e que mesmo assim você precisa passar por isso e resolver os seus problemas da melhor maneira possível.

Chega, né? Eu senti que peguei pesado com vocês, mas não fiquem achando que é tudo ruim porque é tudo bem pior do que isso. Eu só listei 5 coisas pra não causar um impacto tão grande na vida de vocês, mas a verdade é que existem muito mais coisas que a gente só descobre depois de passar por isso. Você tem algum outro fato pra encaixar nessa lista ou alguma pergunta sobre o assunto? Compartilha com a gente aqui nos comentários!